4 de out de 2013

Simples como o início.

Uma noite que me cobre,
Um dia que me acorda,
Uma vida que recomeça todo dia
Sinta, as flores de uma primavera tão fria...

Plumas pesadas e soltas feitas algodão
Olhe para o céu e sinta o calor de uma canção
Uma canção que você ouvia quando dormia
Veja, todos os tons de um branco absoluto....

De ponta a ponta, um garoto constrói algo
Algo com o que podia se passar,
Uma ponte era o que se via,
Uma ponte o servia,
Crie, mas não mais que o mundo pode te ensinar...

Quem entenderá o que não foi entendido
Quem ouvirá um mudo que fala muito bem
Como quando estamos perdidos
No meio de um emaranhado, que o têm.

A lua que está tão clara,
Quase tão clara como o sol
Quase tão infinita como um universo
Ela pode ser terminada em apenas um verso.
Simples como um ponto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário